Secretaria de Finanças de Campina Grande desmente informações falsas sobre suspensão da Lei do Refis

-

A Secretaria de Finanças de Campina Grande desmentiu, nesta sexta-feira (28), informações de que o Programa de Recuperação Fiscal (Refis) estaria suspenso. A informação falsa surgiu durante a semana após pronunciamento de alguns vereadores da bancada de oposição na Câmara Municipal. No entanto, segundo o secretário-adjunto da pasta, Felipe Gadelha, não há nenhuma fundamentação acerca da suspensão do programa.

“Não tivemos quaisquer informações sobre a ‘suspensão’ da Lei do Refis. Para nós da Secretaria de Finanças, o Refis está vigente e pode ser realizado pelos contribuintes. Nenhuma informação que trate ao contrário disso que estamos dizendo, tem procedência e condiz com a verdade”, enfatizou o secretário adjunto.

- Continua depois da Publicidade -

Para solicitar o acesso ao Programa de Recuperação da Prefeitura de Campina Grande, o contribuinte (proprietário ou não de imóvel no caso do IPTU) deverá solicitar via protocolo eletrônico, através do site da PMCG (www.campinagrande.pb.gov.br) ou pessoalmente na Secretaria de Finanças, que está em novo endereço, na Rua Cazuza Barreto, Estação Velha – antigo prédio da STTP).

Ainda sobre o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), caso o contribuinte não seja o proprietário do imóvel, deverá anexar procuração ou documento que comprove a responsabilidade. Para pagamento à vista, fica dispensada a procuração.

Por Codecom

Valter Nogueira
Valter Nogueira
Valter Nogueira de Amorim, jornalista profissional, é o editor-chefe do blog. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (1988). Atuou nos principais jornais impressos do Estado, tais como A União, O Momento, Correio da Paraíba e O Norte. No campo administrativo, foi secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Rita (1997-2005), assessor de Imprensa da Prefeitura de Pedras de Fogo (2008). Exerceu, também, o cargo de gerente de Comunicação do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2019.

Compartilhe

Mais Lidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui