A Democracia foi atacada, mas ressurge mais forte!

-

Por Valter Nogueira

Em ato promovido por partidos do campo progressista, movimentos sociais e centrais sindicais, realizado nesta segunda-feira (8), o Brasil mostrou que a democracia, mesmo atacada, ressurge mais forte. Tudo isso a despeito daqueles que, ainda, insistem em não aceitar a derrota nas urnas.

- Continua depois da Publicidade -

Democracia é assim – gente –, quem tem mais voto vence, ponto! E quem perde tem o direito de espernear – nunca de promover atos de vandalismo-terrorismo, como forma de intimidar e querer, a todo custo, tomar o poder à força.

A ação de hoje destaca a data 8 de janeiro como Dia da Reafirmação da Democracia e a Luta contra a tentativa de golpe neofascista.

A propósito – para que ninguém esqueça -, nesta data, no ano passado, uma semana após a posse do presidente Lula (PT), apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) – inconformados com a derrota – invadiram a Praça dos Três Poderes, na capital federal, e promoveram destruição nas sedes do Supremo Tribunal Federal (STF), do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional – verdadeiro ato de vandalismo.

A ação dos bolsonaristas alienados poderia ter sido, apenas, um movimento de histeria coletiva, como outros tantos que já ocorreram em várias partes do país. Mas não foi isso que aconteceu em oito de janeiro de 2023.

Mais do que um movimento de protesto, e muito pior do que a depredação das sedes do Legislativo, Executivo e Judiciário, foi a motivação política e os objetivos do infame e malfadado ato, qual seja: tentativa de golpe.

Tudo começou antes, com os acampamentos montados em frente ao quartel do comando do Exército, em Brasília. Lá, os lunáticos pediam textualmente uma intervenção militar para alterar – pela força das armas – o resultado da eleição de 2022. Estes, coitados, pensavam que viviam a mesma realidade de 1964.

A fila anda, o tempo passa! E nada do que foi será do jeito que já foi um dia, segundo lembra a música de Lulu Santos. Um golpe sem justificativa levaria, em pouco tempo, o Brasil à sarjeta. Isso, devido ao boicote que sofreria por parte dos Estados Unidos e Europa.

A maioria dos comandantes militares entendeu que não tinha clima para golpe, sem apoio internacional para tanto.

Assim como o gado, que segue cegamente seu dono para o matadouro, muitos seguiram o opaco ex-presidente Jair Bolsonaro. Este, por sua vez, se aproveitou do fanatismo de seus seguidores e os induziu a praticar O PATRIOTISMO ÀS AVESSAS.

 

Valter Nogueira
Valter Nogueira
Valter Nogueira de Amorim, jornalista profissional, é o editor-chefe do blog. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (1988). Atuou nos principais jornais impressos do Estado, tais como A União, O Momento, Correio da Paraíba e O Norte. No campo administrativo, foi secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Rita (1997-2005), assessor de Imprensa da Prefeitura de Pedras de Fogo (2008). Exerceu, também, o cargo de gerente de Comunicação do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2019.

Compartilhe

Mais Lidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui