PF revela que Bolsonaro pressionou ministros a disseminar notícias falsas sobre eleições

-

Os principais veículos de comunicação do país divulgaram, nesta quinta-feira (8), notícia dando conta que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) pressionou os ministros de seu governo para que promovessem e replicassem, em cada uma de suas respectivas áreas, todas as desinformações e notícias fraudulentas quanto à lisura do sistema de votação, com uso da estrutura do Estado para fins ilícitos e dissociados do interesse público. A pressão ocorreu durante reunião realizada em 5 de julho de 2022.

“Vou entrar em campo usando o meu exército, meus 23 ministros”, afirmou o ex-chefe do Executivo na ocasião. É o que consta no relatório enviado pela Polícia Federal para embasar a operação realizada nesta quinta-feira (8), que teve como alvo o ex-presidente Bolsonaro e ex-ministros a ex-aliadados de Bolsonaro.

- Continua depois da Publicidade -

A reunião foi convocado por Bolsonaro, segundo a PF, e contou com a presença de diversos ministros, como Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Paulo Sérgio Nogueira (Defesa) e Walter Braga Netto (Casa Civil).

O encontro tinha o objetivo de “reforçar aos presentes a ilícita desinformação contra a Justiça Eleitoral, apontando o argumento de que as Forças Armadas e os órgãos de inteligência do governo federal detinham ciência das fraudes e ratificavam a narrativa mentirosa apresentada pelo então presidente”.

Os policiais federais obtiveram relatos da reunião após apreensão de computador na residência de Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro.

A PF afirma também que houve coação. “Em seguida, o então presidente da República, Jair Bolsonaro, assinala, ostensivamente, o objetivo da reunião: coagir os ministros e todos os presentes, para que aderissem à ilícita desinformação apresentada”.

Valter Nogueira
Valter Nogueira
Valter Nogueira de Amorim, jornalista profissional, é o editor-chefe do blog. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (1988). Atuou nos principais jornais impressos do Estado, tais como A União, O Momento, Correio da Paraíba e O Norte. No campo administrativo, foi secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Rita (1997-2005), assessor de Imprensa da Prefeitura de Pedras de Fogo (2008). Exerceu, também, o cargo de gerente de Comunicação do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2019.

Compartilhe

Mais Lidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui