Anísio diz que reitor da UFPB  “lava as mãos” com portaria que transfere responsabilidade

-

O deputado Anísio Maia (PT) disse, nesta quarta-feira (20), que o reitor da Universidade Federal da Paraíba, professor Valdiney Gouveia, por meio da portaria nº 1061, transfere responsabilidade a chefes imediatos. O documento determina a volta do trabalho presencial na UFPB.

“O reitor lavou as mãos, ao transferir para chefes imediatos responsabilidade que, a rigor, é da Reitoria”, declarou o deputado.

- Continua depois da Publicidade -

De acordo com Anísio, o reitor sequer tomou medidas prévias para garantir o mínimo de segurança, com vista à volta das atividades presenciais na UFPB.  Ele adianta que a transferência de responsabilidade está explicito no texto da portaria:

“…Nas unidades administrativas em que a chefia imediata constatar não ser possível o distanciamento social mínimo com o quantitativo total de servidores, conforme protocolos de biossegurança, a jornada de trabalho diária dos servidores deverá ser cumprida de forma, preferencialmente, 50% presencial e 50% remota.”.

Ato

A Portaria nº 1061, de 15 de outubro de 2021, determina o retorno das aulas de forma presencial, em 2022. O documento determina, também, à volta ao trabalho de forma presencial de todos os servidores da instituição.

Valter Nogueira
Valter Nogueira
Valter Nogueira de Amorim, jornalista profissional, é o editor-chefe do blog. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (1988). Atuou nos principais jornais impressos do Estado, tais como A União, O Momento, Correio da Paraíba e O Norte. No campo administrativo, foi secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Rita (1997-2005), assessor de Imprensa da Prefeitura de Pedras de Fogo (2008). Exerceu, também, o cargo de gerente de Comunicação do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2019.

Compartilhe

Mais Lidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui