Prefeitura da Capital orienta sobre a importância da vacinação nas volta às aulas

-

As férias terminaram e com a volta às aulas, os pais devem redobrar os cuidados e a atenção para evitar o contágio de doenças que podem ser transmitidas nos ambientes escolares. A Prefeitura de João Pessoa faz um alerta os pais e responsáveis para que mantenham uma atenção especial ao cartão de vacina das crianças e adolescentes, deixando sempre o documento com as doses em dia.

“São comuns espirro, tosse, nariz escorrendo e sintomas gastrointestinais nos pequenos, principalmente quando já frequentam ambientes educacionais, seja na escola ou no transporte escolar. A circulação de vírus em ambientes fechados ou aglomerados pode propiciar e facilitar transmissão de doenças. Portanto, alertamos os pais que mantenham o cuidado com as crianças por meio da vacinação, que pode contribuir significativamente para a prevenção”, destacou Fernando Virgolino, enfermeiro e chefe da Seção de Imunização em João Pessoa.

- Continua depois da Publicidade -

A vacinação é uma das intervenções de saúde pública com maior impacto na prevenção de doenças infectocontagiosas. A medida é fundamental para ajudar no amadurecimento do sistema imunológico dos pequenos e protegê-los contra doenças graves. No entanto, as coberturas vacinais estiveram em baixa, mas agora estão sendo retomadas com cenário positivo no Brasil.

“Por isso mantemos o alerta e mobilizamos nossa rede de assistência preventiva, com médicos, enfermeiros e agentes de saúde, que a principal recomendação para prevenir ou reduzir a gravidade do adoecimento nesse período de retomada das aulas ou em qualquer período, é estar com a caderneta de vacinação em dia. Esse alerta cabe aos educadores também, que estão nesse convívio diário nas salas de aula”, destacou Fernando Virgolino.

Além da vacinação, existem outras medidas preventivas que podem ser adotadas tanto pelos pais quanto pela própria escola. Elas incluem: higienização das mãos, etiqueta respiratória, que é quando você usa um lencinho descartável ou a parte interna do braço para cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirra, não compartilhar alimentos nem material escolar ou objetos de uso pessoal, tentar manter os ambientes bem ventilado, higienizar frequentemente o local, inclusive as carteiras dos alunos; e, principalmente, estimular que os pais não levem o aluno doente para a escola.

É importante também que os pais sinalizem à instituição educacional, quando seu filho estiver doente, em especial se estiver diagnosticado com alguma doença contagiosa. Isso ajuda a alertar pais e educadores para sintomas semelhantes em outros alunos. “Nesses casos, de adoecimento da criança, principalmente se tratando de síndromes gripais, o recomendado é que a criança fique em casa, em observação e se recuperando, evitando neste caso de ir à escola”, completou Virgolino.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda que as vacinas contra a Covid-19 podem ser administradas simultaneamente com o imunizante que previne contra Influenza ou qualquer outro do calendário vacinal em qualquer intervalo na faixa etária de seis meses de idade ou mais e, todas as vacinas recomendadas no PNI estão disponíveis gratuitamente nos postos de saúde pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Quais as vacinas ofertadas gratuitamente na rede municipal de saúde:

1. BCG,
2. Hepatite B,
3. Penta,
4. Pólio inativada,
5. Pólio oral,
6. Rotavírus,
7. Pneumo 10,
8. Meningo C,
9. Febre amarela,
10. Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola)

11. Tetra viral (sarampo, caxumba e rubéola e varicela),
12. DTP,
13. Hepatite A,
14. Varicela,
15. Difteria e tétano adulto (dT),
16. Meningocócica ACWY,
17. HPV quadrivalente,
18. dTpa,

19 Covid-19 (Campanha ativa),
20. Influenza (Campanha anual).

Fonte: Secom-JP

Valter Nogueira
Valter Nogueira
Valter Nogueira de Amorim, jornalista profissional, é o editor-chefe do blog. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (1988). Atuou nos principais jornais impressos do Estado, tais como A União, O Momento, Correio da Paraíba e O Norte. No campo administrativo, foi secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Rita (1997-2005), assessor de Imprensa da Prefeitura de Pedras de Fogo (2008). Exerceu, também, o cargo de gerente de Comunicação do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2019.

Compartilhe

Mais Lidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui